DW - A Muralha de Ferro

A tomada do Forte da Montanha
Arco 1; Sessão 2

Após a sangrenta batalha pela tomada do Forte da Montanha, que resultou na morte de dezenas de guerreiros e besteiros meio-anões, assim como na aparente morte de Rook, o grupo seguiu perseguindo Rhogar Gwimli, escadaria abaixo. Encontraram ali, porém, uma sala circular aconchegante, quente, com prateleiras de livros, paredes de madeira grossa, poltronas e um convidativo tapete, permeada pelo doce cheiro de vinho. Xoxana rasgou o tapete em busca de uma passagem, encontrando ali um alçapão, de onde o cheiro vinha.

Pouco tempo depois, porém, o encantamento que envolvia o lugar fora desfeito, revelando-o como uma sala escura, fria, de pedra polida. O caminho por onde vieram deu lugar a uma parede, revelando que um portal os trouxera para o lugar onde estavam, e se fechara em seguida. O grupo segue pelo caminho encontrado por Xoxana, descendo uma íngrime escada, totalmente envolta em escuridão. Como não poderia deixar de ser, todos acabaram escorregando pelo caminho e caindo, menos o astuto ranger, Pablito, que já era acostumado com tais caminhos pelas ruelas de sua antiga cidade.

O grupo encontrou-se então em uma sala pentagonal, com acesso a quatro celas. De uma delas, projetava-se uma luz estável e branca, que iluminava fracamente o ambiente. Descobriram ser proveniente dos truques de Nosferkain, o Mago, que havia sido preso ali há alguns dias. Após uma demonstração da grande força de Tassarian, as barras foram torcidas, possibilitando a saída do grupo. O mago uniu-se aos heróis, por ter objetivos em comum com os demais.

Vozes anãs foram ouvidas do andar superior, atiçando a curiosidade dos heróis. Tassarian correu à frente, deparando-se com um caldeirão de óleo fervente sendo virado. O bárbaro apertou o passo e virou o caldeirão ao contrário, ferindo-se um pouco mas atingindo alguns dos agressores. O próprio Rhogar, quatro meio-anões e um misterioso arcano humano batalharam contra a guerreira, o bárbaro e o ranger. A sala foi tomadas pelas chamas quando o conjurador ateou fogo no óleo fervente. Rhogar e o feiticeiro tentaram escapar, mas foram interceptados por Tassarian e Pablito, respectivamente. Apenas Rhogar sobreviveu à investida, apenas para travar uma luta pessoal com Xoxana, ao fim da qual perdeu a vida.

Enquanto isso, o Mago encontrou sinais da loucura de outros prisioneiros. Em uma das celas, encontrou junto a um corpo o broche da família Erion, o que atiçou algumas perguntas em sua mente. Quando a situação se acalmou, já era noite. O grupo reagrupou-se, e enquanto a sala ficava mais e mais fria, descobriram que um amuleto encontrado em posse do feiticeiro morto abria dois portais em uma das paredes da sala. Um deles voltava ao forte, enquanto o outro parecia levar a um vulcão, no qual várias patrulhas anãs pareciam estar acampadas.

O grupo retornou ao forte, encontrando ali apenas alguns poucos guerreiros. Sob encantos de invisibilidade provindos da magia de Nosfekain, o Mago, conseguiram descobrir uma emboscada, a qual fora desmantelada pela autoridade divina que ecoou como um brado de Siegfried. O grupo então revistou o forte, apenas para se depararem com outra emboscada, preparada próxima ao dormitório. Saíram vitoriosos da batalha, porém, o bárbaro perdeu um de seus olhos, a guerreira teve sua armadura destruída e quase todos sofreram danos severos.

Como o forte fora tomado, o grupo aproveitou e descansou ali por três dias, para restaurarem-se dos ferimentos e revistarem toda a instalação em busca de tesouros, o que eventualmente acabaram encontrando, assim como mais informações a respeito do forte e do exército anão, inclusive a de que os fazendeiros locais possuíam pactos com o grupo de meio-anões, principalmente no vilarejo próximo de Moinhos. Erguendo-se sob uma bandeira comum, a partir de então conseguir informações sobre o levante anão e acabar com esta ameaça às terras livres passou a ser a prioridade do grupo.

View
O encontro
Arco 1; Sessão 1

Os heróis seguiam por alguma estrada perdida no reino de Demanor. Tassarian, Siegfried e Rook escoltavam uma caravana de mercadores pela estrada, quando foram parados por meio-anões que exigiam impostos. Logo atrás, vinham Xoxana e Pablito, que, conhecendo alguns dos outros heróis, aproximaram-se furtivamente.

Ao perceberem as intenções ilegítimas do grupo de soldados, os heróis os atacam, aniquilando-os, deixando apenas um deles escapar, sob a promessa de que não voltaria a servir Rhogar Gwimli, um general anão, responsável pelo Forte da Montanha, que ficava há poucos quilômetros dali. Pablito, conversando com uma das integrantes da caravana, conhece Elana, uma velha que, ao tocá-lo, faz com que seu braço brilhe por alguns instantes. Resolvida a situação, a caravana seguiu livre de impostos, enquanto que os heróis a deixaram, formando um grupo único para investigar o tal forte.

O grupo montou acampamento à beira da estrada. O ranger investigou os arredores, explorando parte das plantações que os cercavam e um bosque que costeava o forte ao norte, por pouco não sendo descoberto por uma patrulha noturna de meio-anões. Assim que a situação aliviou-se, Pablito deixou o bosque e voltou junto ao grupo.

Seguindo para o forte no início da manhã seguinte, o Bárbaro, o Paladino e a Guerreira adentram o forte pela frente, encarando de frente uma multidão de meio-anões besteiros e guerreiros, para conseguirem uma audiência com o próprio Rhogar. Após uma espera significativa e uma conversa tensa, na qual o próprio Siegfried revelou sua real identidade como príncipe de Griffingold, os ânimos exaltaram-se, resultando em uma sangrenta batalha.

Pablito e Rook, por outro lado, adentraram por um caminho menos honroso, a saber, os esgotos do forte, que desembocavam em um riacho próximo, que por sua vez cortava o bosque explorado pelo ranger na noite anterior. Despistando a atenção dos guerreiros do forte, os dois infiltraram-se pelos esgotos, matando alguns meio-anões desavisados em uma caverna natural, assim como outros nos dormitórios, para enfim seguirem furtivamente por um túnel subterrâneo e unirem-se aos demais quando a batalha se iniciava, no salão principal do forte.

Cabeças voaram e muito sangue passou a adornar a fortaleza. Rhogar escapou em meio à batalha, por outra passagem que levava ao subsolo. Os heróis provaram seu valor, derrotando dezenas de meio-anões em um combate frenético, do qual, porém, o próprio Rook não saiu-se tão sortudo. Surpreendido por alguns dos besteiros, o ladrão matou seu último alvo enquanto uma adaga atravessava-lhe as entranhas. O ladrão caiu, e foi carregado pelo paladino enquanto que o restante do grupo, seguia para o subsolo, para perseguir o general anão.

View

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.