DW - A Muralha de Ferro

A energia das sombras

Arco 1; Sessão 4

O grupo acampa na costa oeste do Rio das Rochas, próximos à Vila de Moinhos. Acordados à noite por sons de passos próximos, acabam vendo algo mover-se pelas sombras. Surpreendem o que parecia ser um coelho, com cauda longa, tamanho avantajado e pelos negros. Kain acerta-lhe com um de seus mísseis mágicos. Uma névoa estranha começa a envolver o corpo, como se uma carapaça se desfizesse em fumaça e sombras, deixando para trás a carcaça de um coelho normal. Tassarian percebe que o coelho possuía uma cicatriz e o abre, encontrando ali uma pequena gema negra e redonda.

Xoxana, andando em busca do grupo, os encontra através do grito de morte do coelho, assim como das luzes mágicas de Nosferkain. Conta-lhes acerca de uma caverna que encontrou nos arredores, ao perseguir um meio-anão que passara próximo ao forte (este foi o motivo de ter deixado os heróis para trás). Nesta caverna, um grande dragão estava preso, como que por encantamento, envolto em uma energia sombria, e guardado por meio-anões.

Tassarian tocou a estranha gema, mas sentiu-se mal, como se algo entrasse em si a partir da gema, uma energia sombria que passou a atormentá-lo nos sonhos e em vigília. A gema foi pega e guardada em um pano, pelo mago. O grupo descansou nesta noite e partiram para o norte, para investigar tal caverna. Um dia e meio de viagem depois, o grupo atravessava as montanhas ao norte de Moinhos. Enquanto tentavam superar um obstáculo na estrada, energias sombrias fizeram o bárbaro recuar, apenas para se deparar com uma espécie de abertura na beira da estrada, da qual criaturas decrépitas pareciam rastejar para fora.

Tassarian foi então acometido por visões estranhas, e o mundo ao seu redor pareceu tornar-se sombrio e decrépito como o mundo dos mortos. O mago recuou para ver o que estava acontecendo, apenas para ver o bárbaro escalando a montanha para selar o buraco com uma pedra. Xoxana e Siegfried, depois de um tempo, perceberam a ausência de seus aliados, e voltaram também. Os três travaram uma luta contra draugrs, saídos de uma possível tumba. Nosferkain foi ferido com uma energia gélida em sua perna e protegido por Xoxana, apenas para posteriormente fulminar os inimigos com explosões de fogo.

Tassarian derrubou a grande rocha e tapou a saída das criaturas. O grupo começou a sentir uma estranha força emanando de um local próximo, e finalmente rumaram à caverna. Lá chegando, ouviram bramidos do dragão, que parecia estar lutando contra seus carcerários. Xoxana, protegida pelas magias de invisibilidade do Mago, entrou na gigantesca caverna e percebeu que os meio-anões lutavam para manter o dragão preso. Uma figura encapuzada chegou ao local, acompanhada de alguns meio-anões, emanando uma energia negra, tal qual a que sentiam no local, na pedra que Tassarian tocara, e no próprio bárbaro.

O bárbaro e Siegfried, o Paladino, desceram de seu esconderijo, próximo à entrada da caverna, para confrontar os recém-chegados. Eliminando com bravura os anões que foram para cima deles, tentaram ir ao encalço da criatura que, retirando seu capuz, revelara-se ser de uma raça estranha e desconhecida. Porém, o conjurador teleportou-se para uma plataforma interna da caverna, ficando longe do alcance dos heróis. Xoxana instaurou um ambiente caótico entre os anões, provocando-os uns contra os outros. Aproveitando a distração, comunicou-se com o dragão, dizendo que iria ajudar a salvá-lo. Conseguiu arremessar uma alabarda de um dos anões caídos que, certeira, atingiu o mago.

A perda de concentração do estranho conjurador enfraqueceu as correntes que prendiam o dragão, dando-lhe a chance de soltar-se e dizimar os anões presentes, quase matando alguns dos heróis no processo. O dragão respondeu a algumas perguntas, e deixou o grupo para trás. Segundo ele, o conjurador era Aghanid, um ser de outro plano cuja mente estava envenenada por uma entidade da loucura.

O grupo então chegou a Aghanid, que agonizava tentando criar um portal para fugir. Interrogando-o, ele parecia sugerir que a história era verdadeira, que uma entidade o estava controlando antes, mas que ele havia voltado a si naquele momento. O bárbaro largou-o para cair e para morrer, mas o paladino o segurou a tempo. Ele mostrou-se aberto a ajudar os heróis a tentar desfazer alguns males que ele havia causado, quando possuído por Boarlek, divindade da loucura, ou a, pelo menos, acompanhá-los até o templo de Ravina, onde poderiam prendê-lo até que a influência de Boarlek fosse desfeita.

Aghanid ajudou os heróis a encontrarem o portal para o plano das sombras, sustentado pela drenagem de energia mágica de alguns itens mágicos próximos e, principalmente, do dragão aprisionado. O portal era um de muitos, cujo objetivo era colapsar os planos e mergulhar a realidade em um caos primordial. Nosferkain, utilizando os poderes do cetro que pegara de Aghanid, enfraqueceu o portal, enquanto os demais retiraram os itens mágicos próximos, para enfraquecê-lo mais. A esperança é que, assim, possam quebrar o portal e encerrar sua influência sobre aquela região de Atheriom.

Comments

Boarlek?
UAHSUAHSUAHS

A energia das sombras
JWillian

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.